11 de setembro de 2014

"Amores eternos existem e não há caretice alguma nisso. Mas só há duas maneiras de torná-los eternos: ou a gente os rotula como tal e se acomoda, ou a gente analisa, discute, amadurece, chora, pensa, repensa, ama, odeia, enfrenta, tenta, tenta e tenta de novo. É cansativo. Exige construção e demolição de fantasias, encontros e desencontros. São esses os amores que ficam pra sempre: aqueles que dão tanto trabalho que a gente mal consegue perceber sua eternidade."

_Martha Medeiros in Amores eternos


2 comentários:

  1. Verdade! Melhor enfrentar e tentar, amadurecer todo dia se for preciso,pois vale a pena e a recompensa é essa um amor todo eterno :)
    Lindo texto não conhecia.

    Silvana parabéns pelo blog!
    Um super abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre bom encontrar textos novos!!
      A eternidade está em nós...
      Outro super abraço pra vc... e Venha me visitar quando quiser :)

      Excluir