28 de maio de 2013



Desculpe, sou antiga. Gosto de andar de mãos dadas. E mais de que beijos e amassos,
 quero amor e continuidade.


(Clarice Correa)

Não sei... Se a vida é curta
Ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos
Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo,
É o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
Não seja nem curta,
Nem longa demais,
Mas que seja intensa,
Verdadeira, pura... Enquanto durar

(Cora Coralina)

Fechei os olhos e pedi um favor ao vento:
Leve tudo que for desnecessário.
Ando cansada de bagagens pesadas. 
Daqui para frente apenas o que couber no bolso e no coração.
(Cora Coralina)

A lua foi ao cinema
Passava um filme engraçado
A história de uma estrela
Que não tinha namorado.

Não tinha porque era apenas
Uma estrela bem pequena
Dessas que quando apagam
Ninguém vai dizer, que pena!

Era uma estrela sozinha,
Ninguém olhava para ela
E toda luz que ela tinha
Cabia numa janela.

A lua ficou tão triste
Com aquela histótia de Amor
Que até a lua insiste:
_ Amanheça, por favor!


(Paulo Leminski)


Deus nos concede, 
a cada dia, 
uma página de vida nova 
no livro do tempo. 
Aquilo que colocamos nela, 
corre por nossa conta.

(Chico Xavier)

 não possa tanta distância
deixar entre nós
este sol
que se põe
entre uma onda
e outra onda
no oceano dos lençóis


_ Paulo Leminski

Permita que eu feche os meus olhos,
pois é muito longe e tão tarde!
Permita que agora emudeça.
que me conforme em ser sozinha.
Há uma doce luz no silêncio, e a dor é de origem divina.
Permita que eu volte meu rosto para um céu maior que este mundo,
e aprenda a ser dócil no sonho como as estrelas no seu rumo.

(Cecília Meireles)
Ainda que mal 

Ainda que mal pergunte,
ainda que mal respondas;
ainda que mal te entenda,
ainda que mal repitas;
ainda que mal insista,
ainda que mal desculpes;
ainda que mal me exprima,
ainda que mal me julgues;
ainda que mal me mostre,
ainda que mal me vejas;
ainda que mal te encare,
ainda que mal te furtes;
ainda que mal te siga,
ainda que mal te voltes;
ainda que mal te ame,
ainda que mal o saibas;
ainda que mal te agarre,
ainda que mal te mates;
ainda assim te pergunto 
e me queimando em teu seio,
me salvo e me dano: amor.


(Carlos Durmmond de Andrade)

27 de maio de 2013


eu só preciso de pés livres,
de mãos dadas,
e de olhos bem abertos.
(Guimarães Rosa)
Não deixe portas entreabertas.
Escancare-as ou bata-as de vez.
Pelos vãos,brechas e fendas
passam apenas semiventos,meias verdades e muita insensatez.
(Cecília Meireles)

25 de maio de 2013

Viver não é perigoso? Então, com sua licença!
Não tenho medo. Nasci Assim.
Encantada pela vida.
(João Guimarães Rosa)

24 de maio de 2013

Sonhos não morrem, apenas adormecem na alma da gente...
(Chico Xavier)




... E dar as mãos, 
e dar de si, 
além do próprio gesto
E descobrir feliz que o amor 
esconde outro universo ...
(Fábio Jr)

23 de maio de 2013


Pensei que era apenas demora 
e cantando pus-me a esperar-te.

(Cecília Meireles)
Este é um poema tão meigo, tão terno, tão teu...
É uma oferenda aos teus momentos de luta e de brisa e de céu...
E eu, quero te servir a poesia numa concha azul do mar ou numa cesta de flores do campo.
Talvez tu possas entender o meu amor.
Mas se isso não acontecer, não importa.
(Cora Coralina)
 
... E a doçura é tanta...
Que faz insuportável cócega na alma.
Viver é mágico
E inteiramente inexplicável...
(Clarice Lispector)

22 de maio de 2013

Florescer costurando em cores, alçados por alegrias que caem do céu, quando menos esperadas, anunciando que depois de outonos, a vida sempre nos reserva primaveras...
(Pablo Neruda)

É preciso ter tristeza. Tristeza não é ruim. 
Quase todo mundo só quer ouvir musiquinhas alegres,
ir dançar em lugares barulhentos, ficar falando o tempo inteiro. 
Porque ele tem medo da tristeza. Mas não é a tristeza que mata.

(Fernanda Young)
O seu sorriso é um horizonte
Seus olhos criam um universo
O charme do teu ombro esconde
A surpresamo teu mistério (..)
Me assusta tão igual que somos
Você costura a minha sombra

(Nando Reis)

(...) Eu te juro e é tão sério
que eu duvido que haja 
aqui ou em qualquer outro hemisfério
um amor assim!
(Orlando Morais) 
E hoje é só mais um dia sem você, mas agora os dias sem você me dão
um lampejo de esperança, pois sei que uma hora você vai chegar...

21 de maio de 2013


"Da vez primeira em que me assassinaram,
Perdi um jeito de sorrir que eu tinha...
Depois, de cada vez que me mataram,
Foram levando qualquer coisa minha..."
(Mário Quintana)

Vagalumes driblam as trevas. 

[Manoel de Barros] 

20 de maio de 2013



"Solidão, o silêncio das estrelas, a ilusão.

Eu pensei que tinha o mundo em minhas mãos
como um deus, e amanheço mortal.
E assim, repetindo os mesmos erros, dói em mim
ver que toda essa procura não tem fim.
E o que é que eu procuro afinal?"



 (Lenine - O silêncio das estrelas.)



Se não me disseres urgente repetido

Eu te amoamoamoamoamo,
verdade fulminante que acabas de desentranhar,
eu me precipito no caos,
essa coleção de objetos de não-amor.



 (Carlos Drummond de Andrade.)

E me bateu uma vontade insuportável de te abraçar e poder te desejar todas as coisas boas que você merece, e até mesmo as que você nem merece.

 (Maria Rita.)

Porque ele deve preencher a tua necessidade, mas não o teu vazio.
(Khalil Gibran)

10 de maio de 2013


Entre a minha casa e a tua,
Há uma ponte de estrelas.
Uma ponte de silêncios.
(Mario Quintana)

3 de maio de 2013

Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir


Se, ao te conhecer, dei pra sonhar, fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo, queimei meus navios
Me diz pra onde é que inda posso ir?


Se entornaste a nossa sorte pelo chão

Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu


Não, acho que estás se fazendo de tonta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir?

(Chico Buarque)

  
 Fechei os olhos para não te ver
e a minha boca para não dizer...
E dos meus olhos fechados desceram lágrimas que não enxuguei,
e da minha boca fechada nasceram sussurros
e palavras mudas que te dediquei...

O amor é quando a gente mora um no outro.
(Mário Quintana)


Eu queria trazer-te uns versos muito lindos
colhidos no mais íntimo de mim...
Suas palavras
seriam as mais simples do mundo,
porém não sei que luz as iluminaria
que terias de fechar teus olhos para as ouvir...
Sim! Uma luz que viria de dentro delas,
como essa que acende inesperadas cores
nas lanternas chinesas de papel!
Trago-te palavras, apenas... e que estão escritas
do lado de fora do papel... Não sei, eu nunca soube o que dizer-te
e este poema vai morrendo, ardente e puro, ao vento
da Poesia...
como
uma pobre lanterna que incendiou!

(Mário Quintana)


Um dia, ela descobriu sozinha que era duas! 
A que sofre depressa, no ritmo intenso e atroz da noite 
e a que olha o sofrimento do alto do sono, do

alto de tudo, balançada num céu de estrelas invisíveis, sem contato nenhum com o chão.
(Cecília Meireles)




O MUNDO É GRANDE
O mundo é grande e cabe
nesta janela sobre o mar
O mar é grande e cabe
na cama e no colchão de amar
O amor é grande e cabe
no breve espaço de beijar.

(Carlos Drummond de Andrade) 

Alguém joga xadrez com minha vida,
alguém me borda do avesso,
alguém maneja os cordéis.
Mordo devagar
o fruto dessa inquietação.

Alguém me inventa e desinventa
como quer
talvez seja esta a minha condição .

Bastaria um momento de silêncio
para eu ser feliz
mas do fundo do palco
uma voz me chama .
Serás tu, amor ,
ou é a Morte, apenas, que reclama ?"


Mulher no Palco
Lya Luft